O que as empresas americanas de comércio eletrônico devem saber para ter sucesso com os clientes europeus: o guia Semalt

O comércio eletrônico permitiu às empresas transcender as fronteiras geográficas. No entanto, há muitos aspectos em mente antes de vender no exterior. Oliver King, diretor de sucesso do cliente da Semalt, explica as características que as empresas americanas de comércio eletrônico devem conhecer ao prospectar vendas na Europa. O especialista também fornece uma visão geral útil das práticas que as empresas já estabelecidas devem desenvolver para se desenvolver.

Métricas europeias do comércio eletrónico

  • Crescimento

As taxas de crescimento indicam o potencial de mercado. Entre 2012 e 2017, o setor de comércio eletrônico na Europa Ocidental prevê um crescimento regular de 12%, enquanto um aumento de 18% está previsto no sul da Europa. Infelizmente, a Europa Central e Oriental pode não ter os mesmos resultados, mas o Statistica.com estima que seu crescimento seja de US $ 41,5 bilhões a US $ 73,1 bilhões. Todos os cenários destacam oportunidades para empresas americanas. Os principais players são o Reino Unido, Alemanha e França, que representam 75% das vendas no varejo online. O Adyen Mobile Index responde por grande parte do crescimento da Europa em pagamentos móveis.

  • Maturidade

O "Índice de prontidão para comércio eletrônico" mede uma visão de 360 graus da prontidão do mercado, conforme desenvolvido pela Forrester. Ele gira em torno dos pilares de consumidores, fornecedores, infraestrutura e oportunidades comerciais. A pontuação americana é 73,4, que é a pontuação mais alta do mundo. Essa é uma vantagem para as empresas de comércio eletrônico nos Estados Unidos, pois os consumidores em outros países terão expectativas mais baixas. Isso significa que a qualidade dos produtos e serviços será impressionante em outros mercados.

Diferença entre clientes europeus e americanos de comércio eletrônico

  1. Diversidade linguística

Jakub Marian desenvolveu um gráfico, que mostra a porcentagem de pessoas capazes de conversar em inglês. Suas implicações ajudam as empresas a decidir se desejam usar o inglês para atingir o sul da Europa ou optar por grandes mercados de comércio eletrônico como Alemanha e França. Outros países, como Noruega, Dinamarca e Holanda, falam um bom inglês. No entanto, também seria prudente usar os dialetos locais para aumentar a taxa de sucesso. Mesmo assim, assim como o inglês é diverso, o mesmo ocorre com os idiomas locais.

  1. Diversidade cultural

A análise de quatro modelos de personalidades de compra ajudará a discernir essas diferenças no mercado. Claramente, há uma ampla gama de diferenças culturais entre grupos. As empresas devem segmentar cada grupo com uma mensagem diferente, certificando-se de que estão fazendo o tipo certo de tradução.

  1. Restrições legais

A União Europeia está se mobilizando para padronizar todas as leis europeias, a fim de possibilitar o comércio eletrônico transfronteiriço. No entanto, ainda existem leis individuais para alguns países, com a Alemanha tendo regras mais estritas. É importante levar em consideração algumas das leis individuais dos países. Uma empresa deve aderir às leis nacionais e europeias.

  1. Pagamentos

Os países da União Europeia aceitaram o euro como moeda nacional, com exceção do Reino Unido, Polônia, Suécia e Noruega. As evidências mostram que alguns têm seus métodos de pagamento preferidos. Os mais comuns são cartões de crédito e PayPal, e alguns como os Países Baixos têm o iDEAL. A não oferta dessas opções pode afetar adversamente as taxas de conversão. Portanto, é aconselhável oferecer pelo menos os métodos mais comuns para dar aos consumidores a oportunidade de escolher.

  1. Logística

O UPS e o Fed EX dominam o mercado de entrega expressa nos Estados Unidos. Os europeus preferem a DHL (40%), seguida pela TNT (15%). A UPS possui uma participação de 10% no mercado. Atores locais como PostNL na Holanda e bpost no mercado belga também desempenham um papel crucial. Eles têm um excelente relacionamento com seus consumidores, o que os torna favoráveis aos negócios de comércio eletrônico. Devido aos diferentes preços de remessa internacional, estoque local e remessa às vezes podem ser úteis.

  1. Confiar em

O negócio de comércio eletrônico deve perceber a necessidade de localizar. Isso ajuda a criar confiança com os clientes. Pode ser um escritório local, um agente local ou um endereço de correspondência alugado. Os números de telefone locais também desempenham um papel essencial, uma vez que os clientes não terão que pagar tarifas adicionais pelas ligações internacionais. Um banco local deve facilitar as transações. Por fim, a empresa deve receber a certificação de uma instituição familiar ao público-alvo.

  1. Marketing

Ao fazer marketing no exterior, a tradução de um site deve levar em consideração as importantes palavras de SEO usadas localmente. O Localizador de mercado global do Google é muito útil para esses fins. Além disso, algumas empresas combinam traduções com redação de SEO e podem ajudar os empresários.

  1. Suporte e Vendas

O monitoramento do processo requer o trabalho de agentes de vendas ou gerentes de contas no país de destino que falam o idioma local para criar confiança. Além disso, o serviço ao cliente para usuários com dificuldades é essencial. Se você não conseguir problemas, algumas empresas o farão.

Conclusão

A Europa apresenta muitas oportunidades para empresas americanas de comércio eletrônico. No entanto, essas empresas devem priorizar suas necessidades locais. Uma pesquisa aprofundada antes de expandir para a Europa é fundamental. Foco no crescimento e maturidade do mercado. Também o essencial é localizar o produto e a própria mensagem. Pode parecer difícil, mas uma vez dominada, a Europa se tornará o mercado de exportação mais viável.

mass gmail